Slider

VÍDEO: Paredes investe 20 milhões em equipamentos desportivos e culturais

Segundo Alexandre Almeida, impunha-se que a cidade sede do concelho ganhasse outra centralidade, assumindo-se como âncora do município, mas para isso faltavam vários equipamentos

O novo pavilhão multiusos | FOTO: Armindo Mendes

Paredes vai construir uma pista de atletismo, com árvores no interior, e um parque radical, no âmbito de vários investimentos para “reforçar a centralidade da cidade”, no âmbito de um investimento de 20 milhões de euros, segundo o presidente da câmara.

 

 

Segundo o autarca, serão dois equipamentos que complementarão outros que já foram recentemente construídos ou ainda em execução, como a piscina ao ar livre, o pavilhão multiusos, o estádio da cidade e o auditório.

A pista de tartan e o parque radical, ambas as infraestruturas preparadas para a alta competição, ocuparão terrenos que a autarquia está a adquirir para ampliar o parque urbano, explicou.

Segundo Alexandre Almeida, impunha-se que a cidade sede do concelho ganhasse outra centralidade, assumindo-se como âncora do município, mas para isso faltavam vários equipamentos.

O presidente anotou, por outro lado, que grande parte do investimento do seu executivo, desde o final de 2017, no âmbito desta estratégia resultou em melhorias já disponibilizadas à população, nomeadamente um complexo de piscinas ao ar livre e a remodelação do pavilhão multiusos.

No primeiro caso, disse, fazia sentido construir uma piscina ao ar livre, algo que não existia em Paredes, apesar de ser um dos concelhos mais jovens do país, anotou o autarca socialista.

 

FOTO: Armindo Mendes

 

O equipamento custou dois milhões de euros e foi construído junto ao parque da cidade, designado como “piscina verdade”, por ser contígua ao à zona verde. A empreitada incluiu a construção de um bar, que também dá apoio ao parque da cidade.

Em relação ao pavilhão multiusos, a obra aconteceu depois de a câmara ter adquirido, em leilão, os terrenos, onde também se encontra o Estádio das laranjeiras, após um conturbado processo judicial envolvendo privados.

A aquisição dos terrenos representou um encargo de 1,7 milhões de euros, mas permitiu à câmara apresentar uma candidatura para remodelar o pavilhão, uma obra que custou cerca de 2,5 milhões de euros, já concluída e onde já se realizaram competições desportivas internacionais.

Ao lado do pavilhão, encontra-se o antigo estádio da cidade, que também se encontrava muito degradado. A obra de remodelação já foi iniciada e dotará o espeço de uma bancada para cerca de 4.000 pessoas, um bar e instalações para a União Sport Clube de Paredes, a coletividade desportiva mais representativa do concelho, que milita na Liga 3 de futebol.

 

Os trabalhos estão em fase adiantada; obra estará pronta até ao final do ano | FOTO: Armindo Mendes

 

A obra está orçada em cerca de três milhões de euros e deverá estar concluída até ao final do ano, segundo Alexandre Almeida.

A recuperação dos dois equipamentos desportivos contíguos também significa um impacto positivo na requalificação urbana daquela zona da cidade, que era considerada uma “vergonha para Paredes”, admitiu o autarca.

Acresce que debaixo da antiga bancada do estádio, voltada para o arruamento de acesso, serão criadas lojas comerciais que constituirão uma receita acrescida para o clube.

O terceiro grande investimento no contexto da estratégia de nova centralidade para a cidade é a construção, no terreno da antiga adega cooperativa, de um grande auditório, com capacidade para 500 pessoas e uma zona para congressos, com 1.000 metros quadrados. Trata-se, anotou Alexandre Almeida, do maior dos três investimentos, ascendendo a cerca de seis milhões de euros.

 

A obra já está em marcha

 

O futuro equipamento colmatará uma lacuna do concelho, uma vez que o seu maior auditório, na casa da cultura, tem capacidade para apenas 150 pessoas

 

O autarca assinala que o equipamento será dotado das condições técnicas para ali se realizar todo o tipo de espetáculos, além da dinamização cultural à escala concelhia, envolvendo as coletividades.

A câmara também já adquiriu uma parcela de terreno contígua para ali criar uma zona de estacionamento, considerada essencial para o bom funcionamento do auditório e do espaço de congressos.

Além disso, rematou o presidente da câmara, está a ser pensada a construção de uma nova artéria, que passará por debaixo do acesso à autoestrada, ligando ao arruamento do estádio das Laranjeiras. A via, sinalizou à Lusa, melhorará a ligação entre os três novos equipamentos e a fluidez do trânsito, numa das zonas mais congestionadas da cidade.

Armindo Mendes, da Agência Lusa