Slider

São Martinho “renovado e reforçado” de regresso às ruas de Penafiel (C/VÍDEO)

Até 20 de novembro, naquele que Antonino de Sousa classifica de “maior São Martinho do mundo”, não faltarão as habituais castanhas assadas, provas de vinho novo, comércio de vestuário e produtos agrícolas, gastronomia típica da região, artesanato, carrocéis, farturas e animação musical

A secular Feira de São Martinho regressou hoje à cidade de Penafiel, com apresentação “renovada e reforçada” da Quinta de Puços, espaço gastronómico e das provas do vinho novo.

 

 

No local, junto à Encosta do Cavalum e onde estão a decorrer as obras de construção da futura sala de espetáculos “Ponto C”, a Câmara Municipal de Penafiel, promotora do certame, este ano, instalou duas tendas gastronómicas, em vez de uma, como era habitual nas edições anteriores, e abriu novas acessibilidades.

 

 

A medida, explicou aos jornalistas o presidente Antonino de Sousa, na sessão de abertura oficial do evento, visa tornar o espaço “mais funcional, confortável e prático para todos”.

“As condições eram precárias para todos. Os próprios acessos eram, de facto, muito exíguos e isso criava muitas dificuldades, quer para quem tem que montar a feira, quer para os stands, mas também para os visitantes. Ora com as novas acessibilidades e com esta melhoria tão significativa das condições, ficamos todos a ganhar, mas sobretudo os muitos milhares de visitantes que, ao longo destes dez dias, vêm a Penafiel, vão encontrar um S. Martinho renovado nesta área da Encosta do Cavalum”, disse.

 

 

Com as alterações introduzidas naquele espaço nevrálgico da feira, que futuramente será designado de Praça de São Martinho, o autarca manifestou ainda acreditar que “este ano, o S. Martinho vai correr bastante melhor do que nas edições anteriores”.

“Acredito que vai haver de facto muita procura, porque o vinho, este ao, dizem os entendidos, tem qualidade, tem quantidade, e as condições são boas para que este espaço possa ser disfrutado e tudo aquilo que ele tem para oferecer”, frisou.

Quanto ao resto da feira, funcionará em moldes idênticos às edições anteriores.

“Vamos continuar a ter a nossa cidade de Penafiel como um verdadeiro centro comercial ao ar livre com centenas de feirantes e onde se pode encontrar de tudo ao longo destes dez dias que a feira vai funcionar”, observou ainda o edil penafidelense.

Até 20 de novembro, naquele que Antonino de Sousa classifica de “maior São Martinho do mundo”, não faltarão as habituais castanhas assadas, provas de vinho novo, comércio de vestuário e produtos agrícolas, gastronomia típica da região, artesanato, carrocéis, farturas e animação musical.

 

O certame conta com a presença de cerca de 300 feirantes

 

Segundo o vereador com o pelouro do Turismo e Feiras, Adolfo Amílcar, esta edição de 2022 do S. Martinho, a prova de vinhos regressa também ao formato tradicional, com a presença de quatro adegas cooperativas da região do Tâmega e Sousa.

 

 

“O ano passado havia um vinho único, o vinho de S. Martinho, porque ainda estávamos em pandemia e foi a forma que achamos melhor para haver São Martinho.

Este ano voltamos ao modelo anterior, onde a pessoa adquire a canela ou a tigelinhas e tem direito a fazer quatro provas nas adegas”, sustentou.

 

 

A feira de São Martinho, indicou, ainda, arranca com 35 mil canecas e cerca de 15 mil tigelinhas,  mas, o autarca responsável pela organização do evento, diz “estar convencido que, como todos os anos tem acontecido, a meio da feira, serão adquiridas mais, porque não chegam”.

Em 2021, foram vendidas “cerca de 30 mil canecas e 12 mil e 500 tigelinhas”, anotou.