Slider

Paredes: Casa da Cultura acolhe 2ª edição do projeto de intervenção social “Holograma”

A Casa da Cultura de Paredes acolhe 2ª edição do “Holograma da Casa na Área Metropolitana do Porto”, que, até domingo, dia 29, apresentará diversos espetáculos musicais protagonizados por grupos socialmente desfavorecidos, informa fonte autárquica.

 

O projeto de intervenção social, comunitário e pedagógico, resulta de uma parceria entre a Área Metropolitana do Porto (AMP), os 17 municípios que a integram e a Fundação Casa da Música.

A iniciativa, que visa “estender” a programação da Casa da Música a um ou mais espaços culturais de cada um dos municípios, pretende alcançar o público em geral, possibilitando-lhe, experiências musicais com raiz pedagógica e educativa, mas, principalmente, ir ao encontro das pessoas que mais cuidados carecem.

Em todos os concelhos o programa vai desenrolar-se ao longo de quatro dias, sempre de quinta-feira a domingo.

Em Paredes, o primeiro espetáculo, designado “Entre Quatro Paredes”, foi apresentado, ontem, e envolveu 21 crianças, jovens e adultos da comunidade cigana local.

“Todos diferentes, todos iguais” e “Quero que o preconceito fuja e se vá embora” foram algumas das mensagens proferidas em palco, indica o Município, numa comunicação publicada nas redes sociais.

Esta sexta-feira, de manhã, o “Holograma da Casa na Área Metropolitana do Porto” apresentou, ao público pré-escolar, o espetáculo “Bosque dos Sons” e às 21:30 decorre, para o público em geral, a iniciativa Novos Talentos com os The Manchesters – Pop Rock.

No sábado, decorrem duas sessões do espetáculo “A Rolha da Garrafa do Rei de Onde?”, às 10:0000 e às 11:30, e, às 21:30, a atuação Solistas da Casa.

A programação encerra, no domingo, com duas novas sessões do “Bosque dos Sons”, às 10h00 e às 11h30, e um Concerto com Comunidades, às 18h00.

A entrada é gratuita, mas com reserva de lugar obrigatória, através dos seguintes contactos:

O projeto “Holograma” tem um orçamento de 1,1 milhões de euros, e é integralmente financiado pelo Fundo Social Europeu e Orçamento do Estado, através do Programa Operacional Regional do Norte (NORTE 2020), Linha “Cultura para Todos”, gerido pela CCDR-N.