Slider

“O Dia dos Avós é um dos eventos mais especiais de Penafiel e da região” – Antonino de Sousa (C/VÍDEO)

Os cerca de dez hectares do Parque da Cidade da Penafiel foram ocupados por mais de sete mil avós e netos, oriundos das várias freguesias do concelho e da região

O presidente da Câmara de Penafiel, Antonino de Sousa, considerou hoje que a comemoração do Dia dos Avós, realizada no Parque da Cidade, “é um dia extraordinário e um dos eventos mais especiais do concelho e da região”.

 

 

Após dois anos de interregno, devido à pandemia da covid 19, a festa “regressou com um entusiasmo acrescido e com grande alegria”, afirmou o autarca.

Os cerca de dez hectares do Parque da Cidade da Penafiel foram ocupados por mais de sete mil avós e netos, oriundos das várias freguesias do concelho e da região.

Ao longo do dia puderam desfrutar de diversas atividades promovidas pelo Município.

O programa incluiu as habituais aulas de atividade física, rastreios de saúde, uma missa campal, um mega piquenique e animação musical.

“Aquilo que é mais importante é proporcionar aos avós a oportunidade de terem um dia para estarem a conviver com os netos”, salientou o edil, em declarações aos jornalistas.

Este ano, a Câmara Municipal de Penafiel ofereceu, ainda, um bolo com 109 metros de aos participantes, para lembrar Vitorino Fernandes, cidadão penafidelense, natural de São Martinho de Recesinhos, que faleceu recentemente com 109 anos e tinha, até então, o “título” de avô mais  velho do concelho.

Trata-se, segundo Antonino de Sousa, de uma “homenagem simbólica, mas sentida”.

“O que é importante sublinhar é que nos deixa deliciosas memórias da sua forma afável, carinhosa, e de brilho que tinha sempre nos olhos, quando aqui estava a celebrar o dia dos avós”, anotou.

 

Avós dizem viver um dia feliz e animado

 

Maria da Conceição, de 78 anos, residente na freguesia de Lagares e Figueira, participa na celebração do dia dos avós de Penafiel, desde que a iniciativa é realizada. Acompanhada de dois dos onze netos que tem, garantiu estar a viver “um dia muito feliz”.

“Isto faz muito bem à alma e ao corpo”, disse.

 

Emília, de Amarante, deslocou-se a Penafiel para passar o dia na companhia das netas, Lara e Leonor, que residem em Penafiel. 

“Acho que é um dia bonito e eu gosto de cá vir. Acompanho a missa e estou ao pé delas”, afirmou.

 

Adão da Rocha, de 75 anos, natural de Marecos, tem doze netos e dois bisnetos. Garante que ser avô a dobrar “é uma alegria muito grande”.

 

“Sempre foi uma alegria muito grande para nós ser a nossa avó a mentora do dia dos avós” – Iva Couto Faria

 

Iva Couto Faria, neta de Ana Elisa Couto, penafidelense impulsionadora da criação do Dia dos Avós, também marcou presença na festa e confidenciou que “é um orgulho ver Penafiel e o país todo a celebrar a efeméride que a avó muito lutou”.

“Eu cresci com a luta da minha avó para institucionalizar o dia. Sempre foi uma alegria muito grande para nós ser a nossa avó a mentora do dia”, declarou. E acrescentou:

O Dia Nacional dos Avós, recorde-se, nasceu por iniciativa da penafidelense conhecida como “D. Aninhas”.

Após quase 20 anos de reivindicação para que fosse instituída uma data que valorizasse a figura dos avós, em 2003 a proposta de Ana Elisa do Couto foi aprovada na Assembleia da República.

A efeméride acabou por ser assinalada no calendário a 26 de julho, por este ser o dia de Santa Ana e São Joaquim, pais de Maria e avós de Jesus Cristo.