Slider

Bailes tradicionais voltaram a animar Cavalhada de Penafiel

foto Marina Sousa

Os tradicionais bailes das Floreiras, Pausinhos, Pedreiros e Ferreiros voltaram a animar, na sexta-feira, dia 17, a cerimónia da Cavalhada, em Penafiel.

 

Depois de dois anos suspensa, devido à pandemia da covid 19, a tradição, que consiste no agradecimento “simbólico” do povo aos autarcas em funções no Município voltou a realizar-se perante centenas de penafidelenses, mas em moldes um pouco diferentes do habitual.

Este ano, devido às alterações de calendário que sofreu, o desfile não contou com a Bicha Serpe, os habituais cavaleiros, e teve um trajeto mais curto que o habitual.

A chamada Figura da Cidade chegou a pé aos Paços do Concelho e na varanda principal do edifício proferiu as habituais palavras de elogio ao executivo.

Antonino de Sousa, presidente da Câmara Municipal de Penafiel, no seu discurso, mostrou-se satisfeito pelo regresso da tradição.

foto Marina Sousa

“Ainda que com estas alterações, hoje voltamos a estar aqui” referiu o autarca. E acrescentou:

“Esta é uma tradição que não há em mais nenhum concelho do país, tal como as nossas Festas do Corpo de Deus. Podemos não ter as Festas da Cidade com artistas reconhecidos da música portuguesa, mas temos as festas com as tradições únicas no país. Não há mais nenhum concelho, não há outra cidade nos pais que tenha uma procissão tão bonita como aquela que tivemos ontem, que tenha o cortejo do carneirinho e esta tradição da Cavalhada. Por isso, nós aqui em Penafiel somos diferentes. Somos um povo diferente com uma história centenária e temos que nos orgulhar disso”.

foto Marina Sousa

Recuperando e teatralizando antigas “danças e invenções que constituíam as obrigações das corporações de ofícios”, no século XIX, os grupos concelhios de floreiras, pausinhos, pedreiros e turcos animaram, a seguir, o evento inserido nas Festas do Corpo de Deus, que decorreram entre 09 e 18 de junho.